"Quem medirá o calor e a violência do coração dos poetas, quando capturados e aprisionados no corpo de uma mulher?" Virgínia Woolf

sábado, 12 de fevereiro de 2011

Era assim... Já não é mais

                                 À Manoel Bandeira

Se eu pudesse declamar alegria
Seria palhaço, não poeta.

Raquel Amarante N.


4 Comentários:

Anônimo disse...

Bela poema em homenagem ao grande M. Bandeira. Poderia jurar que, se ele o lesse - ou talvez o leia! -, provavelmente que, do seu modo, daria uma taciturna gargalhada, bandeiramente dando bandeira, melancolicamente, por estes belos versos...

Raquel Amarante disse...

Engraçado o que você faz brotar em mim neste comentário anônimo...
Em primeiro lugar, me incita a curiosidade de saber de quem se trata, inerente, né...
Em segundo, mesmo no anonimato, com o "rosto tapado", sinto sua presença transfigurada nas suas palavras. Aprecio a forma rítmica,com que me comunica sua mensagem..
Feliz por recebê-lo(a)... Seja muito bem vindo(a) não sei quem...

Anônimo disse...

... Mas, se eu me revelar, se eu te disser quem eu não sou, prometa-me antes guardar meu anonimato como um segredo...

Brigado pela boa recepção,(vou tentar não ser indesejado, talvez quando muito um inconveniente anônimo...)

Raquel Amarante disse...

Guardar Segredo é a minha profissão.

Por outro lado, é tbm o anônimo bem vindo...

Não incomodaria se ficasse...

Postar um comentário

Você pode fazer comentários mesmo sem ter uma conta do Google ou sem ter um site. Basta clicar em Nome/URL, colocar seu nome e comentar. Sejam bem vindos! ;)

Seguidores

Canções do Varal