"Quem medirá o calor e a violência do coração dos poetas, quando capturados e aprisionados no corpo de uma mulher?" Virgínia Woolf

domingo, 13 de março de 2011

Um lugar chamado msn


Mim promete uma coisa?
Não, não tim prometo.


Raquel Amarante N.


6 Comentários:

Anônimo disse...

A lei do menor esforço é uma farsa!

Viva a complexa evolução do nosso vernáculo esperanto futuro!

O futuro chega loquaz, veloz nas pontas dos dedos do eloquente teclado...

Carol disse...

rs!

loucura essas redes sociais todas!

Raquel Amarante disse...

Concordo Carol..
Loucura que nos aproxima, né..

Raquel Amarante disse...

Caro anônimo,

adorei suas considerações do futuro da nossa língua.. rs
Criativíssimo..
Mas, que será da Última flor do Lácio, inculta e bela?

Temo que fique mais inculta e menos bela...

Anônimo disse...

"Nois mordi a noça linga sem doh."

Mais apropriadas são as suas considerações cheias de erudição clássica, sua "vox", sua "opus".
E justamente por falar em erudição, quero que sua voz latina sopre ou exale sobre este 'bárbaro'* comentário anônimo o perfume da Última flor, já que dela não posso esperar que uma de suas sementes venha fecundar o meu inculto solo vocabular.

Tudo isso exposto pra que vc tenha a dimensão da força de minha ignorância e parabenizá-la por suas muitas línguas. Lembro-me da "última flor do Lácio" em alguma página machadiana, mas remotamente. Por isso te peço que me conduza, quem é o autor da expressão em questão, decerto um clássico latino?

*'bárbaro' na acepção da Antiguidade, é claro. rs.

Raquel Amarante disse...

Olha... Conheço esta expressão de um parnasiano, amigo seu, por vc tbm ser parnasiano...

El grand Olavo Bilac...

Postar um comentário

Você pode fazer comentários mesmo sem ter uma conta do Google ou sem ter um site. Basta clicar em Nome/URL, colocar seu nome e comentar. Sejam bem vindos! ;)

Seguidores

Canções do Varal