"A minha intimidade? Ela é a máquina de escrever. " Clarice Lispector

"A minha intimidade? Ela é a máquina de escrever. " Clarice Lispector

domingo, 18 de dezembro de 2011

A quarta trombeta apocalíptica: o que revelam as reticências

Insisto nas reticências.
São a porta do inconsciente...
O primeiro ponto diz
Fim
(É a barra de recalque)
O segundo ponto diz
depois de um ponto
um novo conto
uma insistência.
Repetição de fins...
No terceiro ponto
ressuscito a intenção
da libido morta.
Me achego ao inominável e paro,
atônita.
Não sei o que dizer
Não sei nem o que sei
Mas continuo reticentiando...
Como quem não se retém na significância
das palavras.
Porque quer expressar a dor e deleite todo.
Porque quer esgotar o incômodo de finalizar-se num ponto.
Para além da palavra,
as reticências...
Ocultando e revelando a essência do indizível.
O silêncio destes três pontinhos
é o essencial do meu texto-vida.
Perscrutando este dizer misterioso
minha existência em palavra
se fará entendida.

(Raquel Amarante)

Oléo sobre tela: A luz vem da escuridão (Ubirajara Rodrigues - Clique em seu nome e conheça seu trabalho)

Aranhas sem teia

Impossível expandir este sentimento
 Esta teia mal feita
que não mobiliza
minhas oito pernas.
Nem ligo para os insetos...
Minha fome impugna meu nicho.

(Raquel Amarante)

Canções do Varal

Seguidores

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...