"A minha intimidade? Ela é a máquina de escrever. " Clarice Lispector

"A minha intimidade? Ela é a máquina de escrever. " Clarice Lispector

sábado, 21 de janeiro de 2012

Eu não sou daqui

Vida,

transformo-te em arte

pois tal me devora.

Transformo-te em sede

pra beber agora.

Carrega meus superlativos

na grandeza das páginas

do meu gibi.

Adjetivo pátrio pariu-me in subversion

_ Eu não sou daqui... Eu não sou daqui...

Meu corpo engessa a alma,

mas é também corpo celeste

nessa tal ânsia por viver...



"E agora, José?"

Vou existindo no gerundismo

de estar sendo mais que o próprio ser...



(Raquel Amarante)






The evening gown - Obra de René Magritte  - Pintor  Surrealista Belga -  (Saiba mais sobre seu trabalho clicando em seu nome)

2 comentários:

  1. A imagem da palavra ou,
    a palavra da imagem ou,
    a vida imitando à arte
    e esta blasfemando àquela
    em cada novo insight de rebeldia criativa, mortal e renascida, pois nada é daqui... nada é daqui
    - talvez mesmo é tudo não ser de lugar nenhum -
    E a vida e a existência,
    e a realidade e a fantasia
    cingindo-se pesarosas na indescoberta e incomunicável felicidade da arte, da arte, indefinida de viver...

    P.S.: A pintura casou-se muito bem com o seu poema, - e olha que de sensibilidade pras artes plásticas eu muito conheço que nem desenhando eu entendo-as, rs - tanto que, o melhor mesmo, é deixá-los se reconhecerem na contemplação silenciosa de seu entendimento: "eu não sou daqui" sua casa talvez seja a lua que tanto contempla, ou qualquer outro lugar que já não existe e a alma nua não esqueceu.

    ResponderExcluir
  2. Hum... Como é bom te ler...
    "pois nada é daqui... nada é daqui"
    De fato, de repente o vento vem e nos leva, a arte permanece como uma testemunha da passagem...
    Em meio ao modo lunático de ser, ir e vir... Em meio as facetas de ser no gerundismo... Estar sendo, Estar vivendo, Estar neste processo "ndo"... Nada melhor que retirar todas as vestes que nos identificam e ser quem somos de fato, quem reconhecemos que somos "in natura"... Fitando a nossa verdade mais verdadeira deparamo-nos com nossa essência identitária... De onde a gente é... Que língua a gente fala..

    ResponderExcluir

Você pode fazer comentários mesmo sem ter uma conta do Google ou sem ter um site. Basta clicar em Nome/URL, colocar seu nome e comentar. Sejam bem vindos! ;)

Canções do Varal

Seguidores

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...