"A minha intimidade? Ela é a máquina de escrever. " Clarice Lispector

"A minha intimidade? Ela é a máquina de escrever. " Clarice Lispector

quarta-feira, 16 de outubro de 2013

Culto à incerteza

(AUMENTE O VOLUME)
  Trecho da canção "O silêncio das estrelas" -  Lenine.  Interpr. por R. Amarante (violão, noite insone, acordes mal feitos, tempo errado, mas o pensamento, lá em você...)



Eu te gosto
como gosto da noite.
do silêncio.
do vazio.
das lonjuras.

Eu te gosto
como gosto dos abraços sem braços
dos beijos sem rostos
dos olhares não correspondidos

Eu gosto da noite, sim,
mas quando a noite chega,
súbito desgosto me exaspera.
pensar
que a noite
está
passando...
indo...
foi!

É  fim de semana que se aproxima
e com ele aquela satisfação...
mas quando chega,
vem a tristeza
qual ventania e chuvarada
neste sertão.
Tão logo passa.



Felicidade está à beira...
Sou feliz e triste por antecipação
em busca de não sei o quê
talvez um sim
talvez um não
talvez um talvez...

Ou algo que perdure
nesta passagem
viagem
vida.

(Raquel Amarante)




domingo, 13 de outubro de 2013

por fora

Tem dias que a alma não quer sair para fora
hesitante, desconfia da folha.
Desfalece a alma
e enche o corpo de um sangue agônico.
Pulsa alma,
cai no papel
corta o papel
Mas não me incomode mais
com os idiotismos da existência.
Estou farta de toda esta comida que não acaba
quero a mesa limpa!
Papéis e canetas apenas.
E meus desejos mais lancinantes por fora.

(Raquel Amarante - 2011)



Ever and ever


Meus sonhos são de pólvora
minha vida, arma
meu hipocampo sob o risco
de um dedo no gatilho.
Se eu atiro
vencê-los-ei
meus desafetos.
Perpetuaremos
relações de esquecimento.

(Raquel Amarante)

Cenas do Filme "Brilho eterno de uma mente sem lembranças"





Love is Love


Somos os mesmos
tentando achar os caminhos não trilhados de nós...

Não há heróis capazes de acrescentar
a tolerância nas mentalidades.

Mas isto não impede
que a íris da pessoa amada
brilhe mais do que
qualquer coisa no mundo...



Com seu pouco tempo de música
talvez nunca entenda minha partitura.



Um ursinho de pelúcia
entende muito mais de amor...


(Raquel Amarante - 2011)

segunda-feira, 7 de outubro de 2013

Carta não enviada nº 23: Você e seu mundo EVOLUÍDO...

Ei meu cachorro,


Você que vê o mundo bem melhor que eu. Que vê o que vê, sem tergiversar. Você que não se labirinta em ismos da existência. Que brinca e brinca e brinca... Você que come e dorme e não se importa com a denominação que a ti reputam. Você que não sataniza, não mistifica, não interroga. Você que não se veste de seda para ser um cão melhor. Você que gosta mais de gente que eu. Você que até entende metáforas se o assunto for comida. Você que faz sexo meeesmo, sem se importar com o público. Se é assim mesmo que você é, não sei ser como você. Seus instintos não te fazem melhor ou pior e por certo esta carta não se destina a você, mas a mim,  tentando entender porque você não precisa entender nada e é feliz, e talvez seja isto que te faça feliz, ou talvez eu suponha demais sobre você, por não ser capaz de entender seu mundo, tão diferente do meu.



Stella Graal


Saiba mais sobre esta e as outras cartas: Sobre as "Cartas não enviadas" 


sexta-feira, 4 de outubro de 2013

Postcard december/12

João é um gentleman, for my mother...
Tomo milk shake com Renan em pleno tiroteio.
Vejo um cover do Nirvana horrível com Patrick.
Visito de novo a boate do sofá vermelho com Tadeu, Isis e Patrick.
Ouço e vejo Beto Guedes com Alice, que nem conhece Beto. : P
Como sushi com Jéssica e Léo. (Nomes reais de loucos que conheci numa noite e que sumiram do mapa)
Passo minhas noites de domingo com Alice.
Viro as madrugadas de fim de semana com Alice.
Perdi provas por estar com Alice.
Deixei de ir na Damaru e no Rock do Rodolpho, Alice ficou brava.
Renan, Patrick e Farley também.
Recebo Camila de volta em Moc Hell.
Encontro fatal com Plínio e na pista de dança.
Plínio me emocionou.
Alice é vítima de hippies no Jac's.
Curto um cover até legal do Coldplay com Luana
Estou todos os dias com Luana,
ela tem me feito companhia.
aprendo a tocar berimbau
e tocar muitos corações
menos o seu.

(Raquel Amarante - 2012)

quarta-feira, 2 de outubro de 2013

Todo todo é um

Todo conhecimento é limítrofe.
Avalanche de neve
ladeira abaixo
alterando pais agens.
cenários, topografias, ares
cessando em uma base.
Todo conhecimento dá trabalho
há trabalho
a trabalho...
Todo conhecimento impera.
Pior é quando o conhecimento
quer se aplicar ao todo.
E todo conhecimento
é para se aplicar ao todo.

Todo conhecimento é limítrofe

Porque todo conhecer é válido
sendo inválido por outra jurisprudência.
Todo conhecimento é narcísico
e ancestral.
E se o conhecimento se preocupasse com a verdade
ele seria mais belo, ao meu ver.
Mas pra fim de prosa,
Todo conhecimento é verdadeiro,
como toda imagem de espelho.



(Raquel Amarante)






terça-feira, 1 de outubro de 2013

Marca de batom

Deixou a marca de batom vermelho
de nome perpétua
no pescoço do infeliz,
como quem quis perpetuar
sua presença no corpo do amado.
Do amante...
Acendeu um fogo brando
em velas purpúreas
e com o olhar retocou a paixão da chama
tinha fé que aquela oxidação
lhe renderia algum afeto
afetou-se.
Ele ia partindo...
Ela morreu.
Matou-se.
porque não queria mais dar satisfação
ao próprio corpo
e a mais ninguém.

(Raquel Amarante)

Pintura da Catherine Murphy: http://art.yale.edu/CatherineMurphy


Canções do Varal

Seguidores

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...