"Quem medirá o calor e a violência do coração dos poetas, quando capturados e aprisionados no corpo de uma mulher?" Virgínia Woolf

quarta-feira, 27 de novembro de 2013

Citando Julio Cortázar

Creio que, desde muito pequeno, minha infelicidade, e ao mesmo tempo minha felicidade, foi não aceitar as coisas com facilidade. Não me bastava que explicassem ou afirmassem algo. Para mim, ao contrário, em cada palavra ou objeto começava um itinerário misterioso que às vezes me esclarecia e às vezes chegava a me estilhaçar. Em suma, desde pequeno, minha relação com as palavras, com a escrita, não se diferencia de minha relação com o mundo no geral. Eu pareço ter nascido para não aceitar as coisas tal como me são dadas. 


(Julio Cortázar)


7 Comentários:

Anônimo disse...

A criança é a mãe do filósofo
e a professora amiga do poeta...

Esta seria uma afirmação
ou pergunta?
Mas, por que?

PS: Caríssima...

Raquel Amarante disse...

Na minha concepção, ela tem essa esse poder causar "thauma". É só lembrar da fábula "A roupa nova do rei"... Foi uma criança que identificou que o rei estava nú, mesmo todos querendo acreditar que inteligência era ver uma roupa que não existia. As crianças têm, por mais que a psicanálise não concorde, qualquer coisa de puro, creio que seja a autenticidade que a gente vai perdendo nas nossas neuroses... rs

Muito bem vindo (a) anônimo (a) querido (a)!

Anônimo disse...

Amando seu blog kel! entro todo dia.

Gabi

Anônimo disse...

A única criança que gosta usa barba, e um grande revólver na cintura.

Anônimo disse...

Todas as mulheres são
Mais felizes quando fazem par com um homem. Deixe ela ser feliz com o seu macho dominador!

Raquel Amarante disse...

rs Mto amor dos leitores...
Gracinha..
Me ama.. <3

Raquel Amarante disse...

Bem vinda gabi!

Postar um comentário

Você pode fazer comentários mesmo sem ter uma conta do Google ou sem ter um site. Basta clicar em Nome/URL, colocar seu nome e comentar. Sejam bem vindos! ;)

Seguidores

Canções do Varal