"Quem medirá o calor e a violência do coração dos poetas, quando capturados e aprisionados no corpo de uma mulher?" Virgínia Woolf

segunda-feira, 23 de junho de 2014

Lembra


lembra
dos sonhos imperfeitos
que a gente traçou
para galgar uma atenção
copiosamente hipócrita.

lembra
das juras que a gente fez de amor
eu com meus sete receios
pois já sabia que daria em erro.
Mas mesmo assim eu fiz
no afã do sentimento,
do desejo.
porque sou toda isso mesmo...

lembra
do quanto que te amei
dos micos que paguei
na ébria adolescência sem éter
porque erámos aqui-agora por inteiro.
Hoje não.

lembra
das cartas...
as tenho até hoje
e não sei o que faço com elas
porque não sou a mesma canceriana,
aquela...
Que guardava papéis de bala icekiss
que via o amor como um chão de giz...


(Raquel Amarante - 2012-2014)










3 Comentários:

Alvarêz Dewïzqe disse...

as cartas indesejáveis que não temos coragem de nos livrar.

Dentro da Bolha disse...

Lembranças que caminham com a gente até o dia acabar! Abraço de quem entende tua escrita.

dentrodabolh.blogspot.com

Geladeira no prego disse...

A memoria é traiçoeira.

Postar um comentário

Você pode fazer comentários mesmo sem ter uma conta do Google ou sem ter um site. Basta clicar em Nome/URL, colocar seu nome e comentar. Sejam bem vindos! ;)

Seguidores

Canções do Varal