"A minha intimidade? Ela é a máquina de escrever. " Clarice Lispector

"A minha intimidade? Ela é a máquina de escrever. " Clarice Lispector

sexta-feira, 27 de maio de 2016

Um país sem livros

Que pena!
que a cena
é de livros queimados.
Muitas desesperanças
couberam às paginas acolhimento.
Muitas também lembranças
da infância e suas nostalgias.
Muitos amores e mágoas
compondo sorrisos nos olhos
de que lhes lia.
Muitos desejos datilografados
rimas paupérrimas, emoções insignes!
Muita ressureição
no terceiro, quarto ou
vigésimo primeiro dia.

Mas que pena!
que a meta é cortar os punhos
de quem escreve
de quem permite pensar
o peso como leve...
de quem apoia a greve
e não se cala na sala de jaula...
Que pena!
Que continuam inquisidores
os tribunais, os parlamentos,
os homo sapiens
queimando o sexo com as palavras
o sexo com as ideias
porque não é simplesmente
sexo por reprodução.
por ser transa mesmo!
por escorrer porra da letra!
pela ejaculação espetacular de ideias!
por orgasmos múltiplos de teorias safadas
que se safam dessa moral hipócrita
aturdida pelos livres
digo, livros.

Que pena!

(Raquel Amarante)








Canções do Varal

Seguidores

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...