"Quem medirá o calor e a violência do coração dos poetas, quando capturados e aprisionados no corpo de uma mulher?" Virgínia Woolf

quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

Amor I

Fiz-me verbo no pretérito do amor
sempre imperfeito.

(Raquel Amarante - 2008)

3 Comentários:

Anônimo disse...

tenso...

Anônimo disse...

Sempre imperfeito...
pretérito, pretenso, preterido...

Talvez seja um verbo irregular,
defectivo, sem oração.
Sem prece, de joelhos
ó inconjugável amor!

PS: Obrigada, querida poetisa,
por nos alegrar com a sua presença.

Anônimo disse...

Talvez o verbo fosse perfeito, mas não para o seu tempo!

Postar um comentário

Você pode fazer comentários mesmo sem ter uma conta do Google ou sem ter um site. Basta clicar em Nome/URL, colocar seu nome e comentar. Sejam bem vindos! ;)

Seguidores

Canções do Varal