"Quem medirá o calor e a violência do coração dos poetas, quando capturados e aprisionados no corpo de uma mulher?" Virgínia Woolf

sábado, 19 de abril de 2014

Vida em flor

Hoje eu faria até três poesias à vida
e cantaria gracias a ela com Mercedes Sosa.

porque felicidade é a cor do lápis
que a gente vai colorindo
pelos caminhos da folha...

---------------------------

Eu tive que apagar a luz
e ler com o cinza do abajur
as letras miúdas
quase mudas
que compactuavam com meu silêncio.
Paciência!


Eu não me arrependo
das flores que sepultei ainda jovem
Dos amores que abandonei
à beira do porto.

Eu fui atrás do arco-íris
e atrás do arco-íris há mesmo um tesouro.
as cores da estrada, do arco
fui eu quem pintei.

da vida não esperei nada
além do que eu plantei.

(Raquel Amarante)


7 Comentários:

BIH Murer! disse...

queria escrever poemas aonde existissem palavras similares ou iguais as que usa nessa acima, mas não sou boa com palavras delicadas ou com nenhuma delas embora eu tente e precise pre expressar através da escrita, acho que se não lesse o que escrevem e se eu não escrevesse provavelmente eu já não teria o ar que me mantém viva. belo blog e bela forma de formar poemas!!

Raquel Amarante disse...

Vc se expressa muito bem sim.. Tanto na escrita quanto na fotografia :))
Fui ao "A minha dose em palavras"... ;)

Malu Silva disse...

Doce, lindo e muito feliz!
Como é bom ler poemas assim... Eu partilhei em muitos lugares...
Beijinhos, Raquel!

ZINA, . disse...

Olá Raquel!

Lido seu blog,lindo o que escreves.

Te seguindo.

Lê Fernand's disse...

e é isso mesmo... ousadia querer mais do que oferecemos.


lindo.

Raquel Amarante disse...

:)) Obrigada por essas visitas ilustríssimas! :))

Raquel Amarante disse...

:)) Obrigada por essas visitas ilustríssimas! :))

Postar um comentário

Você pode fazer comentários mesmo sem ter uma conta do Google ou sem ter um site. Basta clicar em Nome/URL, colocar seu nome e comentar. Sejam bem vindos! ;)

Seguidores

Canções do Varal