"Quem medirá o calor e a violência do coração dos poetas, quando capturados e aprisionados no corpo de uma mulher?" Virgínia Woolf

domingo, 13 de março de 2011

Imensa idade




Minha alma
doce e serena
na minha uma vez pequena
imensa idade.

Raquel Amarante N.

4 Comentários:

Anônimo disse...

Dentre outras coisas, mas das mais importantes, sua "Imensa idade" tem o tato de trazer-me à lembrança dois colossais poetas portugueses, que não obstante por mim serem muito pouco conhecidos, despertam-me imaginar que:
A sua imensa idade é de alma doce e serena porque ouve ao Pessoa, que lhe soa: "tudo vale a pena se a alma não é pequena".
E se sua pequena imensa idade encontrou por um segundo uma pequena imensidade, é porque Camões, como você hoje, outrora descobria e desde aquele tempo lhe dizia: "numa hora acho mil anos, e é de jeito
que em mil anos não posso achar uma hora."

Raquel Amarante disse...

Nossa...
E diz conhecer pouco deles...
Parece íntimo...
Adoro ler seus comentários...
Fico num deslumbramento...

Anônimo disse...

"Deslumbramento..."
Obra da leitura inspirada
nos poemas inspiradores
de Pessoa, Camões
e Rachel...
("serrana e bela", do pastor Jacob e do poeta Camões.) rs.

AD.: Devo encerrar por aqui, pois como já te informei, pouco conheço da obras desses dois imortais vates do linguajar luso, prova disso é não ter mais citações a fazer. he.

Raquel Amarante disse...

rs
Adorei..

Postar um comentário

Você pode fazer comentários mesmo sem ter uma conta do Google ou sem ter um site. Basta clicar em Nome/URL, colocar seu nome e comentar. Sejam bem vindos! ;)

Seguidores

Canções do Varal